27.6.12

Selecção

Relvas foi ao hotel avisar que em caso de derrota divulga detalhes da vida íntima do puto da carta.

26.6.12

Tenho andado com uns problemas com a vizinhança e decidi fazer algo pela minha imagem



Assim informa-se que a partir de hoje este blogue reforça a sua presença virtual. Depois do Twitter pode ser consultado também no Facebook através desta ligação. Ou se não resultar é pesquisar por The Sock Gap (Blogue). Fazer "gosto" nesta página torna os homens mais atraentes ao olhar feminino. No caso das senhoras está para sair um estudo que revela que graças à presença de um complexo vitamínico ser fã rejuvenesce a pele em dez anos. Ou então sou apenas eu que ando com tempo a mais. De qualquer forma não vos ficava mal gostarem disto.

21.6.12

Lembrei-me de partilhar isto convosco

Se uma miúda vos enviar uma sms a perguntar "Marquês?" não comecem a falar de chicotes, máscaras e palavras chave. É que na volta ela está apenas a convidar-vos para os festejos da selecção e nem se interessa muito por literatura. Acaba por gerar-se ali uma situação embaraçosa. Vejam lá isso.

19.6.12

Em escuta ali ao lado

Em "Cosmopolis", um filme fraco de um realizador forte, há uma frase: "o talento é mais erótico quando é desperdiçado". No "diálogo" que o Morrissey canta em "I Know It´s Over" alguém atira: "If you're so funny, then why are you on your own tonight"?

A crueldade é tão mais interessante quando surge disfarçada de elogio.

13.6.12

Santos

É possível descrever sociologicamente a noite de Santo António em Lisboa numa perspectiva de geo-referenciação. E pronto, podia acabar por aqui o post. Já utilizei palavras de quem percebe muito do assunto. E vocês ficavam desse lado a pensar que aquela frase queria dizer tudo e eu escusava de avançar com a explicação. Mas vou arriscar.

Os alfacinhas, genuinamente alfacinhas, aqueles que residem de facto em bairros de Lisboa, há muito que deixaram de olhar para esta noite como a oportunidade do festão do ano. Organizam-se de outras formas. Alguns preferem antes piscar o olho às oportunidades de negócio. Outros descem as escadas do prédio, andam uns minutos e circulam nos bairros do costume a ver se encontram o pessoal do costume. Bebem uma imperial, põem a conversa em dia. Vão perguntando se já se sabe quem ganhou as marchas. Ainda não, bebe-se mais uma e retoma-se a conversa.

E depois há os outros. Os que vêm dos subúrbios de Lisboa e aterram nesta noite como quem olha uma cidade pela primeira vez. Vão perguntando, enquanto estão na Graça, se o Alto de São João fica muito longe. Ou explicam aos berros ao telefone que estão "junto ao São Jorge" referindo-se ao Castelo e não ao cinema. E que miradouro é este perguntam. É Santa Luzia, respondo. E voltam ao telefone para dizer "pá ao pé do São Luzia". Passam na Sé e dizem que estão "junto à igreja".

Recentemente, a moda entre os suburbanos é o bairro da Bica. Não é difícil a explicação. É o que conhecem de Lisboa. O eixo Bica/Bairro Alto que o resto é ponto de passagem casa-trabalho. Ficam ali a noite toda. Parados no mesmo sítio. De vez em quando tentam vestir a pele de alfacinhas e gritam "yé yé yé a Bica é que é" não fazendo ideia o que representa para quem está no marcha o seu sentimento bairrista e aquele grito em particular. Que enquanto para alguns as marchas são colocar a mão na anca e descer uma avenida para outros são uma convicção profunda. Com meses de preparação. E ansiedade e coração aos pulos.

Ao fim da noite pegam nos seus carros - de que outra forma chegariam à cidade? - estacionados de forma caótica onde calha. Voltam para o Cacém ou o Barreiro bêbedos que nem um cacho. A pensar que gira era aquela com quem dancei o pai da criança. É a recordação que levam de Lisboa. Naquela noite de Santo António. Quinta-feira é dia de trabalho. 09h-18h em Lisboa e ufa que já está na hora de voltar para o IC19. A ver se hoje apanho menos trânsito.

7.6.12

Ambição

Abrir um estabelecimento chamado "Casa dos Caracóis". Depois andar pela cidade a distribuir flyers anunciando "caracóis a 5 euros". Chegavam lá e era um cabeleireiro.