28.2.09

Citando

"A maioria dos conflitos que conheço começaram por causa de vaginas".

Ricardo Araújo Pereira, ontem, na TSF, a propósito do caso de Braga.

Pedro Passos Coelho afirmou ter lido um livro que afinal não existe

O que é mais comum do que se possa pensar. Nos meus tempos de Escola Secundária também afirmei por diversas vezes que tinha lido obras que não existiam. Pelo menos no espaço físico da minha casa.

18.2.09

Gosto de Lisboa também pelas suas paisagens campestres *


Pelo menos a julgar aqui pelo bairro, que fica a 20 minutos a pé do centro da cidade, e onde dá ideia que só falta a camisa aberta e a franja à frente dos olhos para sentir-me a viver numa espécie de lezíria ribatejana.

* Particularmente dedicado à Raquel, a propósito de "conversa" aqui há tempos numa caixa de comentários.

13.2.09

Morte assistida

Hoje dei o meu carro para abate. Não sei se isso conta para a discussão.

12.2.09

Estas novidades sobre Kobe Bryant provocam-me uma ligeira irritação, mas não se preocupem não é nada de grave



Bryant (30 años y 171 días) superó por sólo 5 días a una leyenda como Wilt Chamberlain. Chamberlain necesitó sólo 606 partidos, mientras que Bryant, que llegó a la NBA directamente del colegio, sin pasar por la universidad, ha disputado 917 partidos con los Lakers para llegar a los 23.000 puntos.

O Kobe Bryant tornou-se no mais jovem atleta da NBA a atingir 23 mil pontos. Cautela com estes recordes. Não vá a nova geração pensar que está em causa algum jogador que seja merecedor de um lugar na galeria dos melhores de sempre. Que é um problema que não existirá certamente em Portugal. Isto porque alguém tratou de matar a modalidade neste país. Hoje em dia é mais provável ver dois putos a jogar xadrez na Escola Secundária do que às voltas com a tabela de basquetebol. Que ainda assim será uma realidade mais provável do que assistir a alguém jogar sueca, outra modalidade em declínio. Mas regressando ao assunto do post, aceito quem defenda que o problema não passe afinal de uma questão geracional. O de ter tido a felicidade de contactar com o basquetebol nos late 80´s / early 90´s, portanto assistir, com a ajuda do Professor João Coutinho e de um serviço público de televisão, a um desfile de talentosos jogadores. Há que reconhecer que a modalidade mudou e que nos tempos que correm o jogo facilita mais este tipo de proezas. Não é isso que está em causa no Kobe Bryant. Mas sim o facto de ainda ninguém ter conseguido transmitir-lhe que existe uma razão para outros quatro indivíduos estarem em campo com uma camisola igual à dele. São da mesma equipa. E parece que, volta e meia, também gostam de tocar na bola.

10.2.09

Love is noise

No amor, assim como no ginásio, por vezes o que faz falta é um personal trainer. Alguém que nos grite "insiste insiste" quando a vontade é parar e desistir a meio.

9.2.09

Evolução da espécie


Parece que se passa não sei o quê com o nariz da Scarlett Johansson. Que alguém jura que existiu ali mão a dar um toque à coisa. E fazem montagens para o comprovar, esquecendo que certos programas digitais ao serviço da fotografia tanto podem arredondar ou encher, como deformar ou esticar. De qualquer forma, e mesmo que tenha existido assunto para conversa, importa questionar onde se encontra o problema. Como se fosse possível um "é toda boa, so é pena aquela operação ao nariz, que nojo". Prefiro saltar e ignorar tudo isso para destacar outro aspecto. O de alguém, com tanto para apreciar na moça em questão, ter decidido concentrar a sua atenção.....no nariz. Vontade de dizer mal e apontar defeitos onde eles quase não existem. Faz lembrar uma amiga aqui há uns anos, enquanto eu andava deslumbrado com a versão virgem e angelical da Britney Spears, que ainda por cima pedia para dar tau tau one more time, dizia-me com ar de repulsa "ela é gorda". Na altura pensei que estava apenas a ser parva. Recentemente percebi que estava era a ver muito à frente do seu tempo. Dotes de visionária.

8.2.09

Eu cá gosto é de malhar na direita

Afirma o Augusto Santos Silva, em linha com a opinião de vários defesas centrais um pouco por todo o mundo.

5.2.09

3.2.09

Em escuta ali ao lado (ou back to the 90´s)

Em 1992 a televisão nacional transmitiu (coisa rara nessa altura) um concerto dos Guns N´Roses ao vivo em Paris. O meu irmão, fã da banda, registou o momento em VHS mas não teve muitas oportunidades para rever a coisa. Certo dia, acidentalmente, acabei a testar as capacidades de resistência do objecto ao deixá-lo cair de uma altura considerável. Coisa, diga-se, que não foi episódio único. Ainda hoje dou por mim a lamentar o trágico destino de uma gravação do primeiro filme de "Superman" que caiu do segundo andar do prédio após uma mal sucedida tentativa de devolver a gravação ao seu dono: o vizinho do lado. Mas regressando aos Guns n´Roses, desde esse dia, com alguma frequência, o meu irmão foi recordando-me do concerto que, graças a mim, se perdeu. Com a tecnologia posso finalmente colocar ponto final na discussão e dizer-lhe "não me chateies o juízo, se queres ver o concerto vai ao You Tube". É lógico que hoje já não é a mesma coisa. Paciência, como diz a canção. Um tema que começa com um assobio, algo que acontecia com alguma frequência no grupo em questão. O que faz do Axl Rose uma espécie de Bob Sinclair dos anos 90.

2.2.09


Juan Antonio: American?
Cristina: I’m Cristina and this is my friend, Vicky.
Juan Antonio: What color are your eyes?
Cristina: Uh…they’re blue.
Juan Antonio: I would like to invite you both to come with me to Oviedo.
Vicky: To come where?
Juan Antonio: To Oviedo. For the weekend. We leave in one hour.
Cristina: What, where is Oviedo?
Juan Antonio: A very short flight.
Vicky: By plane?
Juan Antonio: Mm-hm.
Cristina: What’s in Oviedo?
Juan Antonio: I go to see a sculpture that is very inspiring to me. A very beautiful sculpture. You’ll love it.
Cristina: Oh.
Vicky: Oh, right, you’re asking us to fly to Oviedo and back?
Juan Antonio: We’ll spend the weekend. I mean, I’ll show you around the city and…we’ll eat well, we’ll drink good wine, we’ll make love.
Vicky: Yeah…who exactly is going to, make love?
Juan Antonio: Hopefully, the three of us.
Vicky: Oh, my God.
Juan Antonio: I’ll get your bill.
Vicky: Jesus, this guy, he doesn’t beat around the bush. Look, senor, maybe in a different life.
Juan Antonio: Why not? Life is short. Life is dull. Life is full of pain. And this is a chance for something special.
Vicky: Right, well, who-who exactly are you?
Juan Antonio: I am Juan Antonio. And you are… (to Vicky) …Vicky… (to Cristina) …and you are Cristina. Right? Or is it the other way around?
Cristina: Yeah, that’s right.
Vicky: Yeah, I mean, you know, it could be the other way around because, frankly, it doesn’t matter because either of us will do to keep the bed warm. You know, I get it.
Juan Antonio: Well, you are both so lovely and beautiful.
Vicky: Yeah, thank you, but we do not fly off to make love with whoever invites us to charming little Spanish towns.
Juan Antonio: (to Cristina) Does she always analyze every inspiration until each grain of charm is…uh…como se dice, eh, squeezed out of it.
Cristina: I guess I have to say that, my eyes are green, actually.

1.2.09

Em relação ao post anterior, e mais uma vez lembrando que há vida para além dos três do costume



Partilho com a estimada audiência este senhor, que conta apenas 21 anos de idade, de seu nome Luís Mendes, conhecido nas coisas da bola por Mano. Preferencialmente lateral-direito, mas na verdade um faz tudo na equipa do Belenenses sendo um daqueles casos de "next big thing" do futebol português se vestisse a camisola de um dos "três grandes". Aqueles que fazem a "alegria do povo".

Pelos vistos eu não sou um gajo do povo